Aplicações seguras e benéficas para crianças felizes: perspetivas dos pais

Research output: Book/ReportCommissioned report

Abstract

Na sociedade em que vivemos, a sociedade da informação, as crianças vivem em lares tecnológicos e estão expostas a dispositivos digitais quase desde que nascem. Esses “digitods” (Holloway, Green, Stevenson, 2015) são os filhos dos primeiros “nativos digitais” (Prensky, 2001) e estão a ser educados por pais utilizadores de tecnologias. A “digitalização” da infância e o ritmo acelerado, sem precedentes, do desenvolvimento tecnológico, colocam novos desafios aos vários intervenientes na proteção dos direitos das crianças, dos pais aos professores, dos decisores políticos às empresas e às marcas. Com base no modelo de Livingstone (2008) referente a conteúdos online positivos e nas atividades da POSCON European Network (2014), o projecto hAPPy kids pretende aplicar esse quadro teórico às aplicações móveis, visto que, atualmente, o tablet é o dispositivo preferido das crianças mais jovens (Chaudron et al., 2015), e portanto o seu principal interface com as tecnologias digitais são as apps. Os objetivos do nosso projeto são: a) identificar critérios para avaliar e classificar o conteúdo móvel positivo; b) construir um modelo teórico para a avaliação dos aspetos benéficos das aplicações (uma “escala de positividade”); c) transformar esse modelo teórico numa ferramenta aplicada que ajudem os diferentes stakeholders a tomar boas decisões sobre as práticas digitais das crianças; e d) promover a aplicação de guidelines éticas no mercado, de modo a reforçar a produção de apps seguras e benéficas para as crianças.
Original languagePortuguese
PublisherUniversidade Católica Portuguesa
Number of pages99
ISBN (Print)9789899928855
Publication statusPublished - 2018

Cite this