As ameaças não violentas do islamismo radical: o Hizb ut Tahrir na Grã-Bretanha: 1986-2015

Research output: Types of ThesisDoctoral Thesis

Abstract

Após o 11 de setembro de 2001 e, no caso particular da Europa, após os ataques terroristas jihadistas de Madrid (11 de março de 2004) e de Londres (7 de julho de 2005), tornou-se premente para os Estados a necessidade em identificar e colaborar com grupos moderados dentro das diferentes comunidades de crentes islâmicos. Todavia, diversas organizações islamitas, apesar de prosseguirem uma agenda contrária a princípios do Estado de Direito, pelo simples facto de condenarem o terrorismo, foram escolhidas (e financiadas) no combate ao terrorismo jhadista. Deste modo importa responder à seguinte pergunta: a ideologia do Islamismo Radical na sua vertente não violenta é incompatível com a democracia liberal, ou será uma tentativa de acomodação, tendo como pano de fundo o Hizb ut Tahrir, na Grã-Bretanha (1986-2015)? No capítulo 1, será necessário delimitar e definir o objeto da tese, isto é a definição de Islamismo Radical na sua vertente não violenta, assim como alguns conceitos operativos essenciais para o desenvolvimento da tese de doutoramento. No capítulo 2, será analisado os objetivos e a estratégia da vertente não violenta desta ideologia, que representam ameaças à democracia liberal. No capítulo 3, importa analisar porque é que estas ameaças surgiram e porque é tão difícil as combater — derivado do desconhecimento e a legitimação do Islamismo Radical não violento por parte de decisores políticos. No capítulo 4, importa analisar o processo de radicalização no extremismo islâmico assim como o seu combate.No capítulo 5, numa análise micro, será analisado o Hizb ut Tahrir, grupo islamita não violento, na Grã-Bretanha (1986-2015). No capítulo 6, após percorrer estas etapas, está-se em condições para testar o quadro concetual, composto por dois princípios de Estado de Direito, para os decisores políticos lidarem com grupos islamitas não violentos. Posteriormente serão gizadas as conclusões da tese de doutoramento. ; After 9/11 of 2001, and regarding Europe, the Madrid (4/11 of 2004) and London (7/7 of 2005) terrorist attacks, it became apparent to most States the need to identify and collaborate with moderates inside the Muslim community. However, several Islamic organizations, despite of pursuing an agenda contrary to certain principles of the rule of law, just because their condemnation of terrorism, they were chosen (and financed) regarding jihadism terrorist fighting. So, for that matter we have to answer the following question: Islamic Radicalism Ideology, using non-violence is incompatible with liberal democracy or is an accommodation effort, bearing in mind the example of Hizb ut Tahrir in Great Britain (1986-2015)? On chapter one, it will be necessary to define the thesis object, which is the definition of radical Islamism, using non-violence, and also some operative concepts, considered essential for the PHD thesis development. On chapter two, it will be analyzed the objective and strategy of Islamic Radicalism by non-violence, which represents threats to liberal democracy by the individuals and groups that supports that ideology. On chapter three, it will be analyzed why these threats emerged and how they are so difficult to combat — because the lack of knowledge and legitimization of Islamic radicalism using non-violence by political advisors. On chapter 4, it will be analyzed the radicalization process on Islamic extremism and its combat. On chapter 5, it will be analyzed Hizb Ut Tahrir, an Islamic group that supports the ideology of Radical Islamism through nonviolence, on Great Britain from 1986 to 2015. On chapter 6, it will be tested the two principles of the rule of law required for political advisors to engage with nonviolent Islamic groups. Finally, it will be drawn the doctoral thesis conclusions.
Original languagePortuguese
Publication statusPublished - 2020

Cite this