Avaliação de contactos oclusais – analógica vs digital

Diana SottoMayor*, André Correia, Patrícia Fonseca

*Corresponding author for this work

Research output: Contribution to journalMeeting Abstractpeer-review

6 Downloads

Abstract

Objetivos: Avaliar a capacidade de estudantes do Mestrado Integrado em Medicina Dentária em identificar contactos oclusais, estáticos e dinâmicos, com papel articular de diferentes espessuras, tendo como referência registos oclusais digitais. Materiais e métodos: Estudo observacional transversal, com estudantes do 4.º e 5.º anos do Mestrado Integrado em Medicina Dentária da Faculdade de Medicina Dentária da Universidade Católica Portuguesa. Foi solicitado a cada participante a identificação dos principais contactos oclusais em posição de intercuspidação máxima e os dentes guia dos movimentos excursivos (protrusão e lateralidades), num paciente padrão, com recurso a papel de articular de 40 e 200μm (BK 17® e BK 02®, Bausch, Alemanha). Estes foram registados em ficha própria e comparados com os contactos oclusais obtidos digitalmente com o OccluSense® (Bausch, Alemanha). A análise dos dados foi efetuada no software SPSS® da IBM com nível de significância de 0,05. Resultados: A amostra incluí 30 alunos de cada ano letivo. Não foi identificada qualquer relação estatisticamente significativa do género com a identificação dos contactos oclusais independentemente da espessura do papel articular (p>=0,05). A maior parte dos participantes identificou corretamente 3 dos 48 rev port estomatol med dent cir maxilofac. 2021;63(S1):1-52 5 dentes expectáveis em posição de intercuspidação máxima (40%) com papel articular de 40μm. Com o de 200μm, a identificação correta predominante foi de 2 dos 5 dentes expectáveis (48,3%). As diferenças encontradas entre estes dois tipos de papel de articular têm significado estatístico na análise da posição de intercuspidação máxima (p=0,001). Relativamente aos movimentos excursivos, verifica-se uma maior capacidade de identificação de dentes corretos com o papel de articular de 200μm comparativamente com o de 40μm. Conclusões: A capacidade de identificação de contactos oclusais, estáticos e dinâmicos, pelos alunos é influenciada pela espessura do papel articular e a avaliação digital dos mesmos é uma ferramenta que deve ser introduzida no ensino pré- graduado como forma de tornar a análise oclusal mais objetiva e didática.
Original languagePortuguese
Article number#122
Pages (from-to)48-49
Number of pages2
JournalRevista Portuguesa de Estomatologia, Medicina Dentária e Cirurgia Maxilofacial
Volume63
Issue numberS1
DOIs
Publication statusPublished - 13 Oct 2022

Cite this