Da alimentação oral à nutrição artificial em cuidados paliativos domiciliários: estudo de caso qualitativo

Research output: Contribution to journalMeeting Abstractpeer-review

1 Downloads

Abstract

Introdução: Devido à evolução da doença e aos tratamentos realizados a alimentação do doente paliativo sofre diversas alterações. O suporte alimentar e nutricional torna-se uma componente de extrema importância, uma vez que, deve acompanhar a pessoa doente e suas famílias desde o diagnóstico até à morte. A alteração na alimentação que mais impacto traz para a vida do doente e do seu cuida-dor é a alteração da via de alimentação.Objetivo: Descrever o fenómeno da passagem da alimentação oral para a nutrição artificial em contexto de Cuidados Paliativos domiciliários.Material e método: Estudo de caso de nature-za qualitativa sobre uma filha de 60 anos que se tornou cuidadora informal da sua mãe de 89 anos. A sua mãe foi diagnosticada com demência no inicio de 2014 e desde então que se encontra a receber Cuidados Paliativos no domicílio. Os sintomas emergentes relaciona-dos com a alimentação foram inicialmente a perda de apetite e a recusa alimentar e, por fim, a disfagia, a perda de peso, a desnutrição e o aparecimento de úlceras de pressão. Estas situações foram motivo de preocupação, pelo que, a pessoa doente foi entubada para alimentação e hidratação. A recolha de dados foi realizada através da observação direta no domicílio e de uma entrevista semi-estruturada. Ao nível da Ética, foi obtido o consentimento da cuidadora informal.Resultados: Com base nos dados recolhidos, para a cuidadora informal as alterações na alimentação e hidratação foram sentidas como um processo de luto. Por vezes, a alimentação foi conotada negativamente por terem ocorrido perdas ao nível social e familiar. Por outro lado, a alimentação e hidratação artificiais mantiveram a sensação na cuidadora informal de que a mãe permanecia ligada à vida contudo, também significava a evolução da doença e a aproximação da morte. Nesse sentido, foram identificados sentimentos de raiva, tristeza, desespero, angústia, fardo e preocupação.Conclusão: Os cuidadores informais podem percecionar a alteração da via de alimentação como a mudança mais profunda nas suas vidas, com impacto ao nível social, uma vez que, se torna sua responsabilidade a preparação e administração da alimentação de forma adaptada às necessidades de cada pessoa doente.
Original languagePortuguese
Pages (from-to)124-125
Number of pages2
JournalCuidados Paliativos
Volume4
Issue number1
Publication statusPublished - Jul 2017
EventII Jornadas de Investigação da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos - Bragança, Portugal
Duration: 17 Mar 201718 Mar 2017

Cite this