Educação pós-graduada em cuidados paliativos pediátricos – experiência de uma instituição de ensino superior

Ana F. Lacerda, Fernando Augusto Coelho Rosa, ML Capelas

Research output: Contribution to journalMeeting Abstractpeer-review

9 Downloads

Abstract

Introdução: O desenvolvimento de serviços de Cuidados Paliativos Pediátricos (CPP) é uma prioridade atual dos sistemas de saúde desenvolvidos. Em Portugal o seu reconhecimento tem crescido desde 2013, quando foram constituídos grupos de trabalho na pediatria e nos cuidados paliativos. Nesse mesmo ano, antecipando as necessidades formativas, uma instituição de ensino superior decidiu criar um curso de pós-graduação (PG) em CPP. Objetivos: Avaliar, desde o 1º ano letivo (2013/14 –2018/19), a diversidade dos formandos e a adequação da sua distribuição por área geográfica nacional e respetiva estimativa de crianças com necessidades paliativas (CcNP). Métodos: Revimos a base de dados das inscrições dos alunos, excluindo aqueles que não concluíram a PG; para as omissões contactámos os alunos por email. Consultámos a base de dados do INE para obter a população pediátrica (0-17 anos) no último ano disponível(2017). Para calcular as CcNP utilizámosos dados publicados no relatório do ObservatórioPortuguês de CP sobre a estimativa decrianças com doença crónica complexa.Resultados: Desde a sua criação esta PG contacom 130 alunos –N=121;93% do génerofeminino; idade mediana 37 anos (22-61). Amediana anual é de 20 alunos (entre 14 em2013 e 42 em 2016, anoem que uma organizaçãoatribuiu 20 bolsas). A maioria cuida decrianças (96;74%). A área mais representadaé a enfermagem (54;42%), seguida da medicina(51;39%), da psicologia (12;9%) e doserviço social (6;5%); outros alunos vieram daeducação (3), voluntariado (2), terapia musical(1) e fisioterapia (1). A região com mais alunosé a ARS LVT (83;64%), seguida da ARS Norte(25;19%), Centro (11;8%), Alentejo (5;4%) eAlgarve (1). Dos Açores vieram 2 alunos e daMadeira 1; no corrente ano temos 1 aluno doBrasil e 1 de Angola (este online). Utilizando aestimativa do OPCP (45:10000 crianças residentes),verificámos que em 2017 o númerode CcNP variou entre 360 (Algarve) e 2639(Norte), resultando num rácio profissionais formados:CcNP entre 1:29 (área metropolitanade Lisboa) e 1:360 (Algarve).Conclusão: Nestes 6 anos letivos, a PG emCPP educou profissionais da saúde (sobretudoda Pediatria, Enfermagem e Medicina) e áreasafins, indo ao encontro das necessidades formativasnacionais. Predominam os formandosda ARS LVT, onde é lecionada a PG. Face aocrescente reconhecimento das necessidadesem CPP, é premente estimular a formação deprofissionais das outras zonas do país.
Original languagePortuguese
Number of pages1
JournalCuidados Paliativos
Volume6
Issue number1
Publication statusPublished - Nov 2019
EventIII Jornadas de Investigação da Associação Portuguesa de Cuidados Paliativos - Instituto Politécnico de Beja, Beja, Portugal
Duration: 26 Sept 201928 Sept 2019

Cite this