Emoções e decisão judicial

Translated title of the contribution: Emotions and judicial decision

Catarina Ribeiro, Celina Manita

Research output: Contribution to journalArticle

Abstract

A tomada de decisão tem sido amplamente estudada pela Psicologia enquanto processo psicológico básico (e.g., Eysenck & Keane, 2005; Simon, 1956; Sternberg, 2000; Tversky & Kahneman, 1974), tendo sido definida como um processo que envolve várias dimensões cognitivas, emocionais, contextuais e que resulta numa determinada escolha. A investigação científica tem demonstrado que o processo de decisão judicial pode ser influenciado por variáveis extralegais, sobretudo de natureza ideológica, e por variáveis psicológicas relacionadas com o próprio julgador, não sendo apenas sustentadas em pressupostos jusídicos (Danziger, Levav & Avnaim-Pesso, 2011; Gorgas, 1995, 2010; Hastie, 2001; Posner, 2008; Reyna, 2012; Simon, 1956). Partindo dos dados desenvolvidos no âmbito de uma investigação mais vasta (Ribeiro, 2016) sobre os aspetos psicológicos da decisão judicial, destacam-se, neste artigo, algumas propostas teóricas que se centram na compreensão do papel das emoções na tomada de decisão judicial.
Translated title of the contributionEmotions and judicial decision
Original languagePortuguese
Pages (from-to)149-161
Number of pages13
JournalRevista do CEJ
Issue number1
Publication statusPublished - Oct 2019

Cite this