Modelos cognitivos da lusofonia: romantismo e racionalismo nas políticas de língua e comunicação de unidade/diversidade do português europeu e brasileiro

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapterpeer-review

61 Downloads

Abstract

Pensamos sobre a realidade social em termos de modelos cognitivos e culturais e, consequentemente, utilizamos estes modelos para categorizar e avaliar a variação linguística. Neste estudo, analisaremos os modelos cognitivos e culturais subjacentes às perceções e atitudes relativamente às variedades europeia e brasileira do português. Emergindo necessariamente no discurso, esses modelos serão estudados com base num corpus de debates sobre políticas de língua e comunicação, normatização linguística e lusofonia. Identificaremos modelos românticos e modelos racionalistas, tanto de convergência como de divergência entre as duas variedades nacionais, que estão na base de atitudes puristas e pró-independentistas face ao português como língua pluricêntrica. O modelo racionalista vê a norma padrão como meio de participação social, ao passo que o modelo romântico olha para a língua padrão como meio de discriminação de identidades. Discutiremos a influência destas ideologias românticas e racionalistas no pluricentrismo do português e na lusofonia.
Original languagePortuguese
Title of host publicationA internacionalização das Comunidades Lusófonas e Ibero-Americanas de ciências sociais e humanas - O caso das ciências da comunicação
EditorsMoisés de Lemos Martins
Place of PublicationV. N. Famalicão
PublisherEditora Húmus
Pages319-335
ISBN (Print)9789897553066, 9897553061
Publication statusPublished - 2017

Cite this