Sinais multiformes de identidade: os arquivos familiares de elites urbanas medievais

Research output: Chapter in Book/Report/Conference proceedingChapterpeer-review

Abstract

Durante o século XIV alguns indivíduos das elites urbanas de Lisboa preocuparam-se com as suas memórias póstumas, mandando, para tal, erguer túmulos monumentais, lápides decoradas ou, ainda, capelas funerárias de maior ou menor imponência. Não obstante ser percetível, através de alguma documentação que chegou até nós, a existência de uma noção de pertença a um grupo social diferente e poderoso por parte destes homens e mulheres, a verdade é que as suas escolhas de âmbito funerário desenvolvem-se na senda do que a nobreza já habitualmente fazia, em especial no que se refere às iconografias dos jacentes e da decoração das arcas tumulares. Em quase nada se distinguem das opções iconográficas da nobreza portuguesa desses tempos e dos tempos anteriores, em especial os indivíduos que escolheram a Catedral de Lisboa para lugar de repouso eterno, à excepção dos conteúdos das epígrafes que os acompanham e que os referem como “cidadãos de Lisboa”. Neste momento, e face ao surgimento, nos últimos anos, de vários estudos sobre as elites urbanas, assim como diferentes questões que captaram a minha atenção relativamente aos seus sepulcros, julgo que estes merecem ser revisitados, repensados e reapresentados neste breve estudo.
Original languagePortuguese
Title of host publicationEspaços e poderes na Europa urbana medieval
EditorsAmélia Aguiar Andrade, Catarina Tente, Gonçalo Miguel Correia Melo da Silva, Sara Prata
Place of PublicationLisboa
PublisherIEM – Instituto de Estudos Medievais CHAM – Centro de Humanidades
Pages101-128
Number of pages28
ISBN (Print)9789899956780, 9789729040153
Publication statusPublished - 2018
Externally publishedYes

Cite this