Avaliação tridimensional do processo de cicatrização do palato lateral por comparação de duas técnicas de recolha de enxerto de tecido conjuntivo

Atividade: Orientações

Introdução: Os enxertos de tecido conjuntivo são frequentemente utilizados em procedimentos de recobrimento radicular. Sugere-se a técnica de incisão única, promovendo cicatrização por intenção primária no local dador, estando descrito que poderá induzir menor morbidade pós-operatória ao paciente. Outros propõem o enxerto gengival livre, conferindo melhor visualização do campo operatório e vantagens a nível de espessura gengival. Objetivo: Comparar o padrão de cicatrização do palato após a recolha de enxerto de tecido conjuntivo nos tempos pós-operatórios de 3 e 6 meses através de dois tipos de técnicas de recolha. Materiais e Métodos: Estudo prospetivo de coorte, num período de 6 meses composto por três tempos de avaliação: dia da cirurgia, 3 meses e 6 meses depois da cirurgia. A amostra compreendeu 19 locais de recolha do palato lateral: quatro enxertos subepiteliais (SE) removidos através da técnica “single incision” descrita por Hürzeler MB. & Weng D.; os restantes 15 enxertos desepitelizados (DE) foram removidos através da técnica descrita por Zucchelli, G. et al. O protocolo da avaliação realizou-se através de uma análise digital: efetuaram-se modelos de estudo a cada paciente operado, nos tempos prédefinidos, sendo os mesmos digitalizados com um scanner intraoral (DentalWings®). Nos programas informáticos, Geomagic Control X® e Materialise Magics®, efetuou-se a análise digital tridimensional das áreas intervencionadas. Resultados: Em relação à técnica SE calculou-se uma alteração média da espessura e volume de 0,36mm e 77,52mm3, respetivamente, em T1, e, de -0,10mm e 16,99mm3, respetivamente, em T2. No grupo DE calculou-se uma alteração média da espessura e volume de -0,26mm e 46,99mm3, respetivamente em T1, e, -0,25mm e 50,53mm3, respetivamente, em T2. Conclusões: A recolha de ETC promove alterações a nível dos tecidos moles do palato duro, podendo ocorrer ganho e/ou perda de volume/espessura; aparentam não estabilizar nos primeiros 3 meses, ocorrendo alterações subsequentes. Não existem diferenças significativas entre as técnicas em estudo. A avaliação digital tridimensional demonstrou possuir um carácter inovador, permitindo estudar a dinâmica da cicatrização de tecidos moles.
Período26 jul 2019
Realizado emUniversidade Católica Portuguesa
Grau de reconhecimentoMestrado

Keywords

  • Cirurgia plástica periodontal
  • Tecido conjuntivo
  • Enxerto de tecido
  • Dinâmica da cicatrização
  • Avaliação volumétrica