O conflito e o enriquecimento na relação trabalho-família e a associação com a parentalidade e a satisfação conjugal

  • Rubiane Teleginski Lenartowski Orsso (ALuno)
  • Ramalho, S. C. (Supervisor)

Atividade: Orientações

A busca pela sobrevivência económica, pelo bem-estar e pela qualidade de vida são impulsores da participação ativa de mulheres e homens no mercado de trabalho. Diariamente, em muitas famílias, mulheres e homens precisam conciliar a relação trabalho-família. O presente estudo teve com objetivo compreender como a relação trabalho-família, em particular, olhando o nível do conflito e do enriquecimento, se associam com a parentalidade e a satisfação conjugal, em indivíduos com filhos de idades compreendidas entre os 0 e os 3 anos. Participaram do estudo, quantitativo e transversal, 129 participantes, sendo 97% mulheres, com idades compreendidas entre os 22 e os 46 anos. O protocolo de investigação foi divulgado online e a recolha de dados foi realizada a nível nacional, usando um conjunto de instrumentos para avaliar o conflito trabalho-família, o enriquecimento trabalho-família, a confiança parental e satisfação parental, bem como a satisfação conjugal.
Os resultados evidenciam que (a) observa-se uma relação positiva entre o Enriquecimento na relação Família-Trabalho e a Confiança Parental; (b) verifica-se uma relação positiva entre Enriquecimento Trabalho-Família e a Satisfação Conjugal; (c) a vivência de Conflito Emocional na relação Trabalho-Família tem um efeito preditor de menores níveis de Satisfação Parental; (d) o Enriquecimento Família-Trabalho baseado no afeto revela-se preditor quer da Confiança Parental quer da Satisfação Conjugal; (e) indivíduos que não têm flexibilidade de horário experienciam maior nível de Conflito Trabalho-Família, enquanto que indivíduos que indicam uma flexibilidade de horário no seu trabalho, experienciam maiores níveis de Enriquecimento Trabalho-Família.
Período2020
Realizado emUniversidade Católica Portuguesa
Grau de reconhecimentoMestrado