Promoção de competências na parentalidade: a criança/família em transição

Atividade: Orientações

O Enfermeiro Especialista de Saúde Infantil e Pediátrica presta cuidados à criança/família nos mais variáveis contextos e em diversas fases do ciclo de vida. No decorrer do seu percurso profissional, depara-se com vários momentos de transição na vida da criança/família. Estas transições desencadeiam alterações significativas no quotidiano das mesmas. O Enfermeiro assume o papel de ajudar a criança/família durante estes processos de transição, quer para a parentalidade, quer na saúde-doença. A transição implica, por parte dos enfermeiros, a aquisição de novos conhecimentos, a definição de novos papéis e o desenvolvimento de novas competências e estratégias. A elaboração deste relatório permitiu-me refletir sobre as competências específicas inerentes ao Enfermeiro Especialista em Saúde Infantil e Pediátrica e descrever o trajeto realizado para a aquisição das mesmas ao longo dos estágios. No Módulo I, realizado na Unidade de Saúde Familiar da Ramada, o foco de atenção foi a transição para a parentalidade. No Módulo II, realizado no Serviço de Pneumologia Pediátrica do HSM, o foco de atenção foi a transição saúde-doença. No Módulo III, realizado no Serviço de Neonatologia do HSM, o foco de atenção foi novamente a transição para a parentalidade, e no Serviço de Urgência Pediátrica do HSM o foco de atenção foi a transição saúde-doença. Como objetivo geral, transversal a todos os módulos de estágio, pretendi contribuir para a promoção de competências parentais, no âmbito das funções atribuídas ao Enfermeiro Especialista de Saúde Infantil e Pediátrica, na prestação de cuidados de enfermagem à criança/família em transição. Para sustentar este tema, orientar e fundamentar as intervenções de enfermagem, foi escolhida a Teoria das Transições de Afaf Meleis. Esta teoria salienta que as pessoas ao sofrerem alterações na saúde e doença, vivem processos de transição, que os torna mais vulneráveis afectando a sua qualidade de vida. Foi também realizada uma revisão sistemática da literatura, orientada para a questão: Qual o papel do enfermeiro na promoção de competências parentais? Torna-se fundamental o enfermeiro conhecer as dificuldades dos Pais no cuidar da criança, de modo a facilitar a adaptação aos seus novos papéis, promovendo novas competências, que visem a autonomia dos mesmos no cuidar da criança, em qualquer contexto que ela se encontre.
Período24 out 2013
Realizado emUniversidade Católica Portuguesa
Grau de reconhecimentoMestrado

Keywords

  • Competências
  • Enfermagem
  • Transição
  • Parentalidade
  • Saúde
  • Doença
  • Criança
  • Família