Será que as experiências traumáticas das crianças afetam o bem-estar profissional dos seus professores?

  • Negrão, M. (Arguente Principal)
  • José Carlos Rocha (Orientador)
  • António Jácomo (Presidente do Júri)

Atividade

O trauma infantil está associado a problemas de saúde física e mental na idade adulta.
Compreender a prevalência e implicações da exposição ao trauma na infância é
fundamental para o desenvolvimento de estabelecimentos educacionais sensíveis ao trauma, com políticas adequadas que contestam a re-traumatização dos alunos através de respostas disciplinares punitivas. A exposição a eventos potencialmente traumáticos reflete-se recorrentemente em desafios comportamentais e académicos dentro da sala de aula. Deste modo, os professores estão na linha da frente para identificar e lidar com o
trauma infantil, no entanto, com este envolvimento podem surgir desafios.
Esta dissertação compreende dois estudos que visam compreender o impacto das
experiências traumáticas das crianças na qualidade de vida profissional dos professores.
Especificamente, o primeiro estudo descreve os níveis de exposição a eventos
potencialmente traumáticos numa amostra de 237 crianças portuguesas. O segundo estudo compara e correlaciona valores de stress traumático secundário, burnout e satisfação por compaixão com a diminuição da produtividade, recorrendo a uma amostra de 158 professores.
Os resultados revelaram a presença de stress traumático secundário entre os professores, contribuindo para a diminuição da sua produtividade.
Período7 dez. 2023
ExaminandoMariana Queirós Silva Nunes
Exame realizado em
  • CESPU
Grau de reconhecimentoMestrado