A ação criadora de Deus na teologia filosófica de Xavier Zubiri

Samuel Fernando Rodrigues Dimas*

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

1 Transferências (Pure)

Resumo

A criação significa a doação de Deus na realidade do que não é ele, ou seja, na realidade do mundo. A criação não é uma emanação, mas é uma ação que põe uma realidade transcendente a Deus (alteridade) a partir do nada (ex nihilo). A criação é um ato de vontade livre que consiste numa processão iniciante de Deus ad extra do que é ad intra, das suas próprias processões trinitárias. Deus, enquanto realidade subsistente, dá realidade subsistente às essências criadas fechadas do mundo material, o qual se vai progressivamente formando a partir de si mesmo, naquilo a que se chama de evolução. A natureza de uma essência aberta é o momento de finitude com que se plasma ad extra a vida trinitária. Ao contrário do que acontece com a criação dos astros e das pedras, na criação das essências abertas, que são os homens, não há por parte de Deus para a sua criação uma ideia distinta. A ideia que preside à criação da essência aberta é a própria realidade divina da vida trinitária. A pessoa humana é a forma finita de ser como é Deus, em inteligência, vontade e sentimento, vivendo como Deus vive, trinitariamente.
Título traduzido da contribuiçãoThe creative action of God in philosophical theology of Xavier Zubiri
Idioma originalSpanish
Páginas (de-até)489-505
Número de páginas17
RevistaCauriensia
Volume10
Estado da publicaçãoPublicado - 1 jan 2015

Keywords

  • Criação
  • Processões trinitárias
  • Transcendência de Deus
  • Mundo aberto
  • Realidade
  • Essências fechadas
  • Essências abertas

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “A ação criadora de Deus na teologia filosófica de Xavier Zubiri“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação