A casa "in"comum dos refugiados ambientais à luz da Laudato Si

Joana Araújo, Carlos Costa Gomes, António Jácomo

Resultado de pesquisarevisão de pares

1 Citação (Scopus)
3 Transferências (Pure)

Resumo

A relação do homem com a natureza tem vindo a alterar-se. Segundo a narrativa do começo, o homem deve cuidar e não dominar a natureza. O domínio despótico do homem sobre o universo alterou a estrutura profunda do planeta, a deterioração do ambiente está a avançar a um ritmo avassalador colocando as gerações atuais e, principalmente, as gerações futuras, em risco. Este artigo explora a questão dos refugiados ambientais para quem a “casa comum” é mais (in)comum. A nossa análise parte da narrativa do começo do livro do Génesis e da Encíclica Laudato Si (e outros documentos da Igreja Católica) e compara o modo de agir do homem sobre a natureza, propondo o sentido humano da ecologia
Título traduzido da contribuiçãoEnvironmental refugees' "not"-common house in the light of Laudato Si
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)407-426
Número de páginas20
RevistaCauriensia
Volume11
Estado da publicaçãoPublicado - 1 jan 2016

Keywords

  • Ecologia
  • Criação
  • Mudanças climáticas
  • Refugiados ambientais

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “A casa "in"comum dos refugiados ambientais à luz da Laudato Si“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação