A cegueira pandêmica saramaguiana como metáfora de época

Resultado de pesquisarevisão de pares

18 Transferências (Pure)

Resumo

O objetivo deste artigo é oferecer categorias que ajudem a refletir o evento pandemia em seu impacto cultural, que inaugura um tempo de busca de revisão de mentalidade, face às fragilidades que se desvelam na ocasião. Neste sentido, o evento pandêmico pode ser ligo à luz do romance Ensaio sobre a Cegueira de 1995, do escritor português José Saramago, desde uma perspectiva lacaniana sobre o papel do imaginário no desafio cultural de integração da alteridade. Tanto o romance português como o referencial lacaniano de alteridade tem sido objeto de hermenêuticas teológicas que indicam seu potencial de elucidação teórica do momento histórico que se vive no Ocidente, em que a alteridade se apresenta como um desafio dos novos tempos. Neste sentido, o evento pandemia se apresenta também como alteridade radical que desvela a real condição em que se encontra a sociedade e cultura contemporânea.
Título traduzido da contribuiçãoThe saramaguian pandemic blindness as time metaphor
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)109-134
Número de páginas26
RevistaEstudos de Religião
Volume34
Número de emissão3
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 18 dez 2020

Keywords

  • José Saramago
  • Jacques Lacan
  • Teologia e literatura
  • Literatura portuguesa

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “A cegueira pandêmica saramaguiana como metáfora de época“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação