"A Piedade não é piegas" (Padre Américo Monteiro de Aguiar): entre a autodiegese e uma "hagiografia incarnada"

Resultado de pesquisarevisão de pares

16 Transferências (Pure)

Resumo

Visa o presente estudo apresentar algumas coordenadas essenciais para uma abordagem preliminar ao conceito e compreensão do fenómeno da santidade nos escritos de Padre Américo Monteiro de Aguiar (Penafiel, 23 de outubro de 1887 – Porto, 16 de julho de 1956). Para tal, e de modo a evidenciar o carácter “autodiegético” da “hagiografia” a que o título aponta, começa-se por apresentar algumas considerações sobre o corpus literário-teológico em questão, sublinhando a índole profundamente autobiográfica do mesmo. Num segundo e central momento do estudo é analisada a multiplicidade conceptual em torno da santidade que se nos torna patente a partir da análise dos ditos escritos. Neste contexto, ganham evidência o peculiar horizonte de compreensão que Padre Américo apresenta para a análise de tal fenómeno, a multifacetada construção terminológica por ele utilizada para o descrever e, por fim, o cariz “exemplar” que certas concretizações do mesmo adquirem à hora de assimilarmos as respetivas dinâmicas e processos. Em conclusão, esta visão da santidade evidenciada pelo Autor é compaginada quer com a sua própria (auto)biografia quer com a visão hagiográfica de outros autores seus coetâneos, apontando-se, assim, outras tantas hipóteses de análises comparativas igualmente enriquecedoras para a compreensão quer do conceito quer do fenómeno da santidade no século XX.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)113-147
Número de páginas35
RevistaVia Spiritus
Número de emissão27
Estado da publicaçãoPublicado - 2020
EventoJornadas de Estudos "A Hagiografia antes e depois de Trento" - Faculdade de Letras - Universidade do Porto, Porto
Duração: 10 jan. 202010 jan. 2020
https://sigarra.up.pt/flup/pt/noticias_geral.ver_noticia?p_nr=102803

Keywords

  • Santidade
  • Hagiografia
  • Espiritualidade
  • Piedade
  • Autobiografia
  • Século XX

Citação