A reconciliação na vida e na prática de Jesus

Resultado de pesquisarevisão de pares

6 Transferências (Pure)

Resumo

Não sabemos hoje exatamente que tipos de sofrimentos eram os daqueles que vieram ter com Jesus para serem curados, expurgados, consolados, exorcizados, reconciliados, pacificados. A denominação geral de “espíritos impuros” abarcava uma grande variedade de maleitas, de indigências, de doenças, de condições que hoje poderão até incluir-se (algumas) num conjunto geral de casos de psiquiatria. Jesus também encontra casos de enfermidades mentais, desespero, doenças psicossomáticas que muitos dos seus contemporâneos fazem derivar de “espíritos impuros”. Seja como for (e mesmo assim sem negar a absoluta singularidade e normalidade da atividade taumatúrgica de Jesus), Jesus reconciliou a muitos não apenas pelos seus gestos particulares, mais emblemáticos, mais surpreendentes. Mesmo ao exorcizar, Jesus restaurou psicologicamente a pessoa, reintegrando-a por esse gesto na cidadania de Israel e na vida religiosa do seu povo pois até aí era considerado à parte porque impuro(a).
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)107-129
Número de páginas23
RevistaDidaskalia
Volume45
Número de emissão2
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 2015

Keywords

  • Cura
  • Terapia
  • Reconciliação
  • Exorcismos
  • Reconstrução

Citação