“Adão e Eva no Paraíso”: a força dominadora do símbolo no dizer de um conto de Eça de Queirós

João Bartolomeu Rodrigues, Elsa Maria Gabriel Morgado, Luciana Cabral Pereira, Levi Leonido Fernandes da Silva

Resultado de pesquisarevisão de pares

143 Transferências (Pure)

Resumo

«Adão e Eva no Paraíso» é um conto de Eça de Queirós. Nele trava-se um interessante diálogo entre duas visões epistemológicas em permanente confronto: por um lado a Bíblica, representante do criacionismo e, por outro, a perspetiva evolucionista. Eça trava, assim, um interessante diálogo entre as duas perspetivas referidas, nunca excluindo uma em detrimento da outra, assumindo uma posição neutra. A tetractis pitagória serve de estrutura formal ao conto. Esta pirâmide é preenchida e ornamentada com os recursos e a força dominadora que os símbolos lhe emprestam: por um lado, os números concorrem para compor as sequências temporais (da criação e da evolução) que compõem o enredo; por outro, a simbologia dos elementos vai fazendo subir, degrau a degrau, o estado de hominização de Adão, na complementaridade de Eva que bate as pedras da civilização, rumo à perfeição que se manifesta na atividade artística.
Título traduzido da contribuição"Adam and Eve in Paradise": the dominating power of the symbol according to a short story by Eca de Queiroz
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)315-331
RevistaCrítica Cultural
Volume12
Número de emissão2
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 2017

Keywords

  • Discurso simbólico
  • Género textual
  • Conto “Adão e Eva”
  • Eça de Queirós

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de ““Adão e Eva no Paraíso”: a força dominadora do símbolo no dizer de um conto de Eça de Queirós“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação