Adolescência e jovem adultícia: crescimento pessoal, separação-individuação e o jogo das relações

Catarina Pinheiro Mota*, Magda Rocha

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

12 Citações (Scopus)
5 Transferências (Pure)

Resumo

O presente artigo procura problematizar a importância das dinâmicas relacionais no crescimento pessoal. Tendo como ponto de partida a teoria da apego, o desenvolvimento pessoal é pautado por processos de separação-individuação; são estes os processos que permitem a construção de um sentido de autonomia. Recentemente o conceito de “adultos emergentes” tem vindo a ganhar destaque, gerindo a discussão em torno dos factores internos e externos que eventualmente potenciam a entrada na adultícia. Pais, irmãos e pares assumem relevância neste processo, o que implica posteriormente um alargamento da rede social ao contexto de trabalho e às relações amorosas. As implicações desta transição serão discutidas à luz do processo de separação-individuação e dos factores moderadores do crescimento pessoal.
Título traduzido da contribuiçãoAdolescence and emerging adulthood: personal growth, separation-individuation and the relational game
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)357-366
Número de páginas10
RevistaPsicologia: Teoria e Pesquisa
Volume28
Número de emissão3
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 2012

Keywords

  • Adolescência
  • Adultez emergente
  • Apego
  • Separação-individuação
  • Família
  • Amigos e pares

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Adolescência e jovem adultícia: crescimento pessoal, separação-individuação e o jogo das relações“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação