Agitar as políticas de adaptação às alterações climáticas: o impulso do projeto STORM na defesa do Património Cultural

Filipa Neto*, Sofia Pereira, Isabel Inácio, Maria João Revez

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisa

Resumo

Sítios arqueológicos, património edificado, paisagens, bens móveis e imateriais, protegidos no âmbito da Lei 107/2001, de 8 de setembro, encontram-se expostos à instabilidade dos fenómenos naturais, o que contribui para o aumento da sua vulnerabilidade e potencial perda ou dano. Pensar em modelos de gestão para a salvaguarda do património cultural no século XXI é um desafio acrescido, que passa inevitavelmente por incluir medidas de adaptação às alterações climáticas e abandonar uma cultura reativa e pouco informada. Só deste modo, sempre com base em conhecimento validado e com recurso a soluções sustentáveis, será possível garantir uma adequada transmissão às futuras gerações dos nossos valores culturais e patrimoniais.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)24-29
Número de páginas6
RevistaPedra & Cal Conservação e Reabilitação
Volume64
Estado da publicaçãoPublicado - 2018
Publicado externamenteSim

Citação