Amanhã ou depois de amanhã: filme performance, comédias do Minho

Nuno Camarneiro, Vasco Mendes

Resultado de pesquisa

Resumo

Que teatro em tempo de pandemia? Há epidemias que chegaram misturadas com a Covid-19, epidemias de solidão, de angústia e de incerteza, outras ainda que podemos imaginar, por exemplo uma epidemia teatral, em que cada um se contamina de uma personagem num teatro total, viral e redentor; ou ainda uma epidemia de gente que resiste, que dá o seu melhor e encontra a coragem de partilhar com os outros a felicidade de criar e fazer sonhar. Aqui se fala também do corpo, de distância e de morte. O corpo palimpsesto de tantas dores e de algumas alegrias, a distância que existe entre nós e os outros, entre o que somos e o que fomos, entre o que queremos e o que nos falta. Fala-se de mortos que ainda vivem e de vivos que já vão mortos. Da morte que nasce com a gente e da qual passamos vidas a tentar escapar, através do riso, do choro, de um pouco de bondade e outro tanto de arte. Enquanto algumas pessoas se juntarem para fazerem teatro e brincarem ao faz de conta, todas as mortes terão de esperar. Não sabemos nem podemos saber o que virá, mas devemos experimentá-lo, brincar com o futuro antes que este brinque connosco.
Idioma originalPortuguese
Meios de saídaFilm
Estado da publicaçãoPublicado - 2021
EventoFITAVALE 2021: Festival Itinerante de Teatro de Amadores do Vale do Minho - Minho
Duração: 21 mai 202123 mai 2021

Citação