Auto e heterorregulação em crianças com Necessidades Educativas Especiais

Paulo César Azevedo Dias, Alda Novais, Manuela Gonçalves, Pedro Flores

Resultado de pesquisarevisão de pares

4 Transferências (Pure)

Resumo

O presente estudo pretende averiguar a autorregulação no processo de aprendizagem dos alunos e os seus efeitos nos resultados escolares, entre alunos sem e com Necessidades Educativas Especiais (NEE). Especificamente, procuramos averiguar se a capacidade de identificar o objetivo da
tarefa, o recurso a estratégias cognitivas, sociocomunicativas da atenção e de solicitação, motivacionais e de autoavaliação é diferente entre os dois grupos. A amostra foi constituída por uma turma de 25 alunos de 4º ano onde estão incluídos cinco alunos com NEE, sendo os dados recolhidos através da grelha de análise das estratégias autorreguladoras da criança em situação de
aprendizagem de Nader-Grosbois (2007). A análise dos resultados permitiu perceber diferenças entre os géneros, com as raparigas mais motivadas para a aprendizagem e com melhores resultados globais nas tarefas. Percebeu-se ainda que os resultados académicos relacionam-se com a capacidade de autorregulação e com a motivação para a aprendizagem. Comparando os alunos sem e com NEE, foi possível concluir que os primeiros apresentam um perfil mais autorregulado e melhores resultados globais nas tarefas. Os alunos com NEE foram os que obtiveram pior desempenho na tarefa e na autorregulação, revelando alterações nas funções cognitivas que intervêm nos processos autorregulatórios. São apresentadas as limitações do estudo e sugeridas
novas linhas de investigação.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)131-146
Número de páginas16
RevistaExedra
Estado da publicaçãoPublicado - 2015

Keywords

  • Autorregulação
  • Heterorregulação
  • Inclusão
  • Necessidades Educativas Especiais

Citação