Constituição do outro e do si mesmo. A partir da Einfünhlung em Edith Stein

Etelvina Pires Lopes Nunes*

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

2 Transferências (Pure)

Resumo

A empatia, em Edith Stein, é uma vivência que permite o conhecimento do outro, mas também do “sujeito empatizante”. Pela teoria “do vivenciar completo”, alcança-se não apenas um conhecimento da vivência do outro, mas também dos valores subjacentes à sua ação. Através desta teoria, pretende-se responder à proposta levinasiana de uma responsabilidade total, por um lado, e, por outro, de P. Ricoeur, que apresenta a necessidade de uma relação que pense ao mesmo tempo a reflexividade do si mesmo. A empatia permite um modo de constituição personalizadora para os dois sujeitos que mantém, de modo simultâneo, a unicidade e a alteridade de cada um.
Título traduzido da contribuiçãoConstitution of the other and of the self: Edith Stein's Notion of Einfühlung
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)105-121
Número de páginas17
RevistaIdeas y Valores
Volume68
Número de emissão171
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 9 set 2019

Keywords

  • E. Stein
  • Empatia
  • Outro
  • Personalização
  • Si mesmo

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Constituição do outro e do si mesmo. A partir da Einfünhlung em Edith Stein“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação