Cristóvão Colón: português, natural de Cuba, agente secreto de D. João II?

Luís Filipe F. R. Thomaz*

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

4 Transferências (Pure)

Resumo

Recentemente tem sido muito propalada a ideia de que Cristóvão Colombo teria sido português, natural da vila de Cuba, e agente secreto de D. João II, aduzindo como prova sobretudo a toponímia das terras que descobriu. Na realidade, os topónimos que lhe têm sido atribuídos ou não são da sua autoria ou se justificam por razões que as fontes coevas nos explicam. Tampouco há razão para preferir o apelido Colón a Colombo, visto a documentação provar claramente que, sucessivamente, usou ambos. Quanto aos serviços a D. João II, prestou ‑lhe o pior que se poderia imaginar: desviar para o Atlântico, onde entravam facilmente em choque com os interesses portugueses as atenções de uma Espanha unificada voltada para o interior da Península, para o Magrebe e para o Mediterrâneo.
Título traduzido da contribuiçãoChristopher Columbus: Portuguese, native of Cuba, secret agent of King John II?
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)483-542
Número de páginas60
RevistaAnais de História de Além-Mar
Volume16
Estado da publicaçãoPublicado - 2015

Keywords

  • Antilhas
  • Cristóvão Colombo
  • Cuba
  • Descobrimento da América
  • Nacionalidade de Colombo

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Cristóvão Colón: português, natural de Cuba, agente secreto de D. João II?“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação