Dependência de opiáceos e qualidade de vida: um problema antigo e os determinantes atuais

Luís Sá, Paulo Seabra, José Amendoeira, Pilar Montesó-Curto

Resultado de pesquisarevisão de pares

Resumo

Objetivo: Identificar fatores que contribuem para melhor perceção de Qualidade de Vida, em dependentes de opiáceos, num programa com metadona, na região de Lisboa. Método: Estudo observacional, correlacional, transversal, realizado com 180 dependentes de opiáceos. Dados coletados com a “Escala de Avaliação da Qualidade de Vida nos Consumidores de Substâncias em Programa de Substituição com Metadona”, em 2013. Resultados: Determinam melhor qualidade de vida: menos reentradas (r=-,159;p,05). Determinam menor qualidade de vida: consumo de benzodiazepinas (t=2,388;p<,05), consumos intra venosos (t=2,373;p<,05), duplo diagnóstico psiquiátrico (t=3,493; p=,001). Conclusões: Estar num programa de metadona melhora a qualidade de vida se associarmos os determinantes: Estar empregado, viver do ordenado, manter uma relação de natureza conjugal, ausência de comorbilidades físicas ou psíquicas, não consumir benzodiazepinas e abandono de consumos intravenosos. Estes determinantes são influenciados pela presença num programa de metadona.
Título traduzido da contribuiçãoDrug addiction and quality of life: old problem and actual determinants
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)32-41
Número de páginas10
RevistaRevista Adictologia
Volume4
Número de emissão1
Estado da publicaçãoPublished - 2017

Keywords

  • Qualidade de vida
  • Saúde mental
  • Determinantes em saúde
  • Dependência de drogas
  • Metadona

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Dependência de opiáceos e qualidade de vida: um problema antigo e os determinantes atuais“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação