Reforma eclesial e recepção conciliar: crise da linguagem teológica e recepção estética do Vaticano II

Resultado de pesquisarevisão de pares

8 Transferências (Pure)

Resumo

O presente trabalho procura analisar a questão da recepção conciliar do Vaticano II, proposta por Yves Congar, Bernard Sesboüe e Christoph Theobald, porém, a partir da teoria da recepção estética de Hans Robert Jauss, e como está presente na tarefa contínua de reforma eclesial. As recepções conciliares são processos de construções teológicas de linguagem e, inevitavelmente atingem momentos de inflexão, como é o caso entre o que ficou conhecido como estilo pastoral da teologia latino americana e a estética teológica de Hans Urs von Balthasar, que acentua o aspecto dogmático. Tais linguagens, que constituíram o terreno do debate teológico pós-conciliar, vão sendo recebidas e reelaboradas, especialmente nas Conferências Gerais do Episcopado Latino Americano e Caribenho.
Título traduzido da contribuiçãoEcclesial Reform and the reception of the Council: the crisis of theological Language and the aesthetic reception of Vatican II
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)45-70
Número de páginas25
RevistaPerspectiva Teológica
Volume46
Número de emissão128
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 1 jan 2014

Keywords

  • Recepção do concílio
  • Linguagem teológica
  • Recepção estética
  • Estilo pastoral

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Reforma eclesial e recepção conciliar: crise da linguagem teológica e recepção estética do Vaticano II“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação