Educar em enfermagem: um processo de reflexividade na interação

Isabel Rabiais, José Amendoeira

Resultado de pesquisarevisão de pares

11 Transferências (Pure)

Resumo



Introdução: Os objetivos para o novo desafio da educação em enfermagem, direcionada para a reelaboração e produção de novos conhecimentos e ainda para o desenvolvimento de competências e disposição para apreensão de habilidades necessárias para o trabalho, envolvem profundas modificações nas relações entre professores e estudantes, por forma a serem atingidas e desenvolvidas determinadas competências. Essas competências deverão expressar ações como a reflexão crítica, a curiosidade científica, a criatividade e a investigação, tendo por base a realidade dos estudantes, sendo os professores responsáveis por articular diferentes metodologias de ensino, conducentes a prepará-los para se tornarem hábeis num determinado domínio do conhecimento, ou seja, a poderem ser considerados competentes. Materiais e Métodos: Estudo de natureza qualitativa, tipo estudo de caso, envolvendo estudantes de enfermagem desde o início do primeiro ensino clínico até ao final do curso, orientadores e professores. Recurso a análise documental, a análise de conteúdo temática das narrativas de discurso dos estudantes e entrevistas com estudantes, orientadores e professores tutores. A análise orientou-se no sentido das dimensões emergentes dos domínios do perfil de competências do Enfermeiro de Cuidados Gerais definido pela Ordem dos Enfermeiros Portugueses. No entanto, considerando que a triangulação de métodos pode tornar a investigação mais consistente, enriquecendo a compreensão do objeto em estudo, optou-se também por uma análise quantitativa dos dados. Com o objetivo de verificar a existência de associação entre todas as variáveis em análise (descritores), efetuámos uma análise de correlação, utilizando o coeficiente de correlação de Spearman. Resultados: A forma como os estudantes concebem o processo de cuidados tem subjacente a capacidade de equacionar o contexto situacional e a pessoa que é, através de um processo de reflexividade na interação. conseguir refletir sobre o processo de cuidados, traduz a capacidade de ser ator da sua própria aprendizagem, refletindo sobre o que vai questionando e adquirindo por si e/ou pela partilha com os outros, através de interrogações existenciais e considerações sobre o que significa ser enfermeiro e cuidar, o que se evidencia na aptidão para o estudante se apropriar do vivido, colocar questões e adquirir e desenvolver competências para cuidar. Conclusões: Considerando a centralidade dos estudantes na construção do processo ensino-aprendizagem, assumindo a participação neste processo com responsabilidade, incentivando a utilização do pensamento crítico, pensamos que a educação em enfermagem deve procurar relacionar o conhecimento teórico, com as experiências vivenciadas e traduzidas pelo exercício da reflexão, compreensão e descoberta, o que promove o desenvolvimento do pensamento crítico, do conhecimento e da capacidade de traduzir o aprendido na universidade, em contexto de prática clínica, conseguindo articular a experiência clínica com a experiência pessoal, permitindo aprender a aprender e a refletir sobre as tomadas de decisão. É através da aprendizagem significativa e desta relação entre o saber proveniente do conhecimento teórico e o saber proveniente do conhecimento prático que os estudantes vão construindo a sua própria identidade e a sua competência profissional.
Título traduzido da contribuição Educate in nursing: a process of reflexivity in interaction
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)55-68
Número de páginas14
RevistaCadernos de Saúde
Volume6
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 1 jan. 2013

Keywords

  • Estudantes de enfermagem
  • Pensamento crítico
  • Aprendizagem
  • Competências
  • Ensino clínico

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Educar em enfermagem: um processo de reflexividade na interação“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação