Em Portugal - o Orientalismo em fragmentos

Eva Maria Von Kemnitz*

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

4 Citações (Scopus)
25 Transferências (Pure)

Resumo

No quadro da crítica do Orientalismo (autores francofónos : Abdel-Malek (1963), Tibawi (1964), Djaït (1978) e o anglófono, Said (1978) propomos uma reflexão sobre a ausência do debate em Portugal sobre esse tema, seguida de algumas considerações sobre a trajectória desses estudos em Portugal, principalmente, na vertente de estudos árabe-islâmicos, atendendo, por um lado aos contactos pioneiros com os vários Orientes e, por outro lado, a um desenvolvimento tardio e inconsequente desses estudos em termos de estruturação e institucionalização, demonstrando um défice e uma desadequação em relação aos desafios do presente em termos académicos e pragmáticos. É discutida também a pertinência do conceito de “Orientalísmo periférico” em relação a Portugal proposto neste fórum. São ainda apresentadas algumas propostas no sentido de promover esses estudos, considerados como uma necessidade num mundo globalizado.
Título traduzido da contribuiçãoOrientalism in Portugal: a fragmented field of study
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)13-25
Número de páginas13
RevistaRevista de Estudios Internacionales Mediterraneos
Número de emissão21
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - dez. 2016

Keywords

  • Portugal
  • Orientalismo
  • Crítica do orientalismo
  • Estudos árabe-islâmicos
  • Universidade

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Em Portugal - o Orientalismo em fragmentos“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação