«Es obra de romanos cortar los abusos»: praxis y negociación del patronato en Cuba y Puerto Rico (1851-1898)

Título traduzido da contribuição: «Es obra de romanos cortar los abusos»: praxis e negociação do padroado em Cuba e Porto Rico (1851-1898)

Resultado de pesquisarevisão de pares

3 Transferências (Pure)

Resumo

Ao longo do século XIX o padroado espanhol normalizou a sua intervenção em áreas cada vez maiores do governo temporal da Igreja dos territórios espanhóis de Ultramar. Este processo foi visto pelos bispos dessas dioceses como uma ultrapassagem dos limites dos direitos de padroado e, por isso, a partir da década de 1850 vão multiplicar as suas denúncias contra esta “ingerência” do poder civil e as limitações que o sistema impunha ao exercício das suas faculdades episcopais. O presente artigo propõe projetar a realidade do padroado espanhol nas Antilhas espanholas, a partir da análise diacrónica de algumas das principais questões da fricção, nas quais subjaz o debate entre dois modelos de Igreja (regalista e ultramontano), e as tentativas e mecanismos arbitrados pelos bispos de Cuba e Porto Rico e pela justiça pontifícia para superar uma situação excepcional.
Título traduzido da contribuição«Es obra de romanos cortar los abusos»: praxis e negociação do padroado em Cuba e Porto Rico (1851-1898)
Idioma originalSpanish
Páginas (de-até)129-153
Número de páginas25
RevistaLusitania Sacra
Número de emissão43
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 1 jan 2021

Keywords

  • Padroado
  • Ultramontanismo
  • Santa Sé
  • Disciplina eclesiástica

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “«Es obra de romanos cortar los abusos»: praxis e negociação do padroado em Cuba e Porto Rico (1851-1898)“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação