Resumo

Este texto analisa o filme "Fantasia Lusitana", realizado por João Canijo. Tenta-se argumentar que o realizador propõe duas camadas de interpretação: a visual - organizada através de atualidades realizadas pela máquina de propaganda de Salazar -, e a sonora - composta por testemunhos de refugiados famosos que passaram por Lisboa durante a II Guerra Mundial. Esta leitura do filme permite clarificar o ponto de vista de Canijo sobre a ideologia salazarista e a sua capacidade de criar uma ilusão identitária que ainda hoje propõe discursos sobre o que é ser português no Portugal contemporâneo, assunto fundamental das obras de ficção do cineasta.
Idioma originalPortuguese
Título da publicação do anfitriãoO Cinema Português Através dos Seus Filmes
EditoresCarolin Overhoff Ferreira
Local da publicaçãoLisboa
EditoraEdições 70
Páginas275-283
Número de páginas9
Edição2.ª edição
ISBN (impresso)978-972-44-1750-9
Estado da publicaçãoPublicado - 2014

Citação