Fernando Meirelle's The Constant Gardener at the crossroads of hegemonic and counter-hegemonic globalization

Resultado de pesquisarevisão de pares

1 Transferências (Pure)

Resumo

O romance O Fiel Jardineiro [The Constant Gardener] (2001) de John Le Carré problematiza a exploração por interesses internacionais do povo africano anteriormente colonizado, num tempo pós-colonial marcado pela globalização. Apesar da tentativa do romancista de revelar as complexas maquinações entre as multinacionais, a Grã-Bretanha e os países subdesenvolvidos, a sua atenção concentra-se em personagens que estão claramente conotadas com o poder. Este ensaio analisa a remediação fílmica que Fernando Meirelles fez do romance de Le Carré em 2005 e demonstra como Meirelles transforma a representação que Le Carré faz de múltiplos conflitos numa reflexão sobre a complexidade do fenómeno da globalização e do seu impacto no Sul Global. Defendo que Meirelles transforma o seu filme num palco em que as forças hegemónica e contra-hegemónica da globalização (Santos, “The Processes”) são confrontadas e interrogadas a partir de uma perspectiva ética. Esta última salienta a relevância do que Appadurai denomina “globalization from below” (“Grassroots”) e o papel do cinema na denúncia dos males da globalização.
Idioma originalEnglish
Páginas (de-até)9-15
RevistaMáthesis
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 2012

Keywords

  • O Fiel Jardineiro
  • Fernando Meirelles
  • Globalização
  • Estudos fílmicos

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Fernando Meirelle's The Constant Gardener at the crossroads of hegemonic and counter-hegemonic globalization“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação