Luz humana e escuridão divina: o exercício de mesura e desmesura da Medeia de Hélia Correia

Resultado de pesquisarevisão de pares

4 Transferências (Pure)

Resumo

Eurípides inovou ao encenar com uma Medeia de mentalidade heróica, filicida, mas com apoio divino, os paradoxos da mulher grega, dependente do nomosmasculino. Hélia glosa-o, debatendo o amor feminino num cenário opressivo, e expõe o ícore divino como causa do desvario anti-phýsis de Medeia.
Título traduzido da contribuiçãoHuman light and divine obscurity: he exercise of mesure and excess in Helia Correia’ Medea
Idioma originalPortuguese
Título da publicação do anfitriãoCasas, património, civilização. Nomos-Physis no pensamento grego
EditoresMaria de Fátima Silva, Maria das Graças de Moraes Augusto, Maria do Céu Zambujo Fialho
Local da publicaçãoCoimbra
EditoraImprensa da Universidade de Coimbra
Páginas331-342
Número de páginas12
Volume1
Edição1
ISBN (eletrónico)9789892618395
ISBN (impresso)9789892618388
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 2019

Keywords

  • Eurípides
  • Hélia Correia
  • Medeia
  • Nómos/phýsis
  • Barbárie
  • Ícore

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Luz humana e escuridão divina: o exercício de mesura e desmesura da Medeia de Hélia Correia“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação