Igreja de São José, Coimbra: história da sua construção

João Alves da Cunha*

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

1 Transferências (Pure)

Resumo

A Igreja de S. José em Coimbra, inaugurada a 19 de março de 1962, deve o seu traço ao arquiteto Álvaro da Fonseca, ao tempo funcionário da Direção Geral dos Serviços de Urbanização. A história da sua construção ficou marcada pelas muitas contrariedades que se sucederam desde que, em 1939, foi decidido substituir a então recém- -inaugurada, mas já demasiado pequena, Igreja de S. José do Calhabé. Depois de rejeitado um primeiro estudo do arquiteto Alfredo Duarte Leal Machado, em 1945 foi o arquiteto Januário Godinho convidado a elaborar o projeto da nova igreja. A modernidade do projeto que apresentou, inspirado em modelos franceses recentes, deu origem a uma discussão paradigmática da contenda existente à época em Portugal relativa aos modelos arquitetónicos que se deviam construir neste país. De um lado, os defensores dos modelos modernos – como o arquiteto Porfírio Pardal Monteiro, que votou sozinho a favor do projeto de Januário Godinho; do outro, os defensores do “Português Suave”, arquitetura supostamente nacional, defendida à cabeça pelo Ministro das Obras Públicas, que elegeu as igrejas neo-tradicionalistas das Caldas da Rainha e do Bombarral, como modelos a seguir.
Título traduzido da contribuiçãoChurch of São José, Coimbra: history of its construction
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)269-302
Número de páginas34
RevistaLusitania Sacra
Volume2019
Número de emissão39
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 2019

Keywords

  • Igreja Católica
  • Coimbra
  • Arquitetura religiosa moderna
  • Estado Novo
  • Português Suave

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Igreja de São José, Coimbra: história da sua construção“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação