Incursões cromáticas em filmes a preto e branco

Resultado de pesquisarevisão de pares

7 Transferências (Pure)

Resumo

O recurso à inclusão de elementos cromáticos ou curtas cenas coloridas em produções cinematográficas a preto e branco é algo que, apesar de não muito frequente, vem pontualmente acontecendo ao longo da história do cinema em filmes como, por exemplo, O Couraçado Potemkine (1925) de Sergei Eisenstein, passando por, entre muitos outros, Juventude Inquieta (1983) de Francis Ford Coppola, As Asas do Desejo (1987) de Wim Wenders, ou mesmo A Lista de Schindler (1993) de Steven Spielberg. Pelo recurso pontual à cor num filme a preto e branco, procura-se objetivar e potenciar uma clara distinção que enfatize linhas narrativas capazes de evidenciar, ao entendimento do espectador, uma clara demarcação de sentidos opostos, sejam eles de factualidade e sonho, passado e presente ou ainda, por exemplo, realidade e fantasia. Procura-se, de igual forma, por esta via, viabilizar uma catalogação diferenciadora de estados díspares onde o efeito da presença simultânea do preto e branco e da cor pode alternadamente remeter o espectador para ambientes de tensão latente, universos utópicos e inusitados, fantasiosos ou mesmo, porventura, vivências distintas. Neste trabalho, partindo da análise de várias obras cinematográficas, pretende- -se elencar, analisar e refletir sobre as potencialidades das incursões cromáticas num registo cinematográfico a preto e branco.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)85-94
Número de páginas10
RevistaCinemas - Cinema, Educação, Investigação
Número de emissão1
Estado da publicaçãoPublicado - 1 jan. 2023

Keywords

  • Preto e branco
  • Cor
  • Hibridismo cromático
  • Incursões cromáticas

Citação