Indirect costs of myocardial infarction in Portugal

Título traduzido da contribuição: Custos indiretos do enfarte agudo do miocárdio em Portugal

Ana Teresa Timóteo*, Miguel Gouveia, Cristina Soares, Rui Cruz Ferreira

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

3 Citações (Scopus)
13 Transferências (Pure)

Resumo

Introdução: As doenças cardiovasculares, em particular o enfarte do miocárdio (EM), podem causar uma sobrecarga económica por perdas de produtividade (custos indiretos) associadas a ausência temporária do emprego, ainda não suficientemente estudada em Portugal. Foi nosso objetivo quantificar os custos indiretos do EM no primeiro ano após admissão. Métodos: Incluíram-se doentes consecutivos admitidos num único centro com < 66 anos durante um ano e que sobreviveram até à alta. Foi avaliado o estado de emprego na admissão e em cada doente empregado, foi estimado o salário mensal com base em dados de fontes públicas nacionais de acordo com sexo e idade. A duração de ausência de trabalho foi avaliada nos contactos de seguimento até um ano. Os custos indiretos foram calculados nesta amostra e aplicados para o número de EM em Portugal durante o ano de 2016 e separadamente para enfarte com supra-ST (EMST) e síndromes coronárias agudas sem supra-ST. Resultados: Foram incluídos 219 doentes, dos quais 66,2% estavam a trabalhar. O custo mensal médio foi de 1802 euros. Obtivemos um custo total de 760.521,55 euros. A nível nacional, foram admitidos 4133 doentes com < 66 anos com EM que sobreviveram até à alta. Os custos foram superiores nos doentes com EMST e estimámos um custo indireto em Portugal de 10.12 milhões de euros. Conclusões: Em Portugal, os custos para a sociedade das perdas de produtividade condicionados pelas incapacidades excedem os 10 milhões de euros durante o primeiro ano após EM. Devem ser desenvolvidas estratégias para regresso mais precoce ao trabalho para reduzir os custos.
Título traduzido da contribuiçãoCustos indiretos do enfarte agudo do miocárdio em Portugal
Idioma originalEnglish
Páginas (de-até)245-251
Número de páginas7
RevistaRevista Portuguesa de Cardiologia
Volume39
Número de emissão5
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - mai. 2020

Keywords

  • Custos indiretos
  • Enfarte do miocárdio
  • Portugal

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Custos indiretos do enfarte agudo do miocárdio em Portugal“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação