É desse Amor que eu sofro. Hermenêutica feminina da experiência mística – a Minne Medieval em Hadewijch da Antuérpia

Título traduzido da contribuição: É desse Amor que eu sofro. Hermenêutica feminina da experiência mística – a Minne Medieval em Hadewijch da Antuérpia

Luis Gabriel Provinciatto, Maria José Caldeira do Amaral, Alex Villas Boas

Resultado de pesquisarevisão de pares

3 Transferências (Pure)

Resumo

Hadewijch dialoga com os pensadores do patrimônio medieval cristão de maneira íntima,dada a sua erudição, ousando inserir aspectos absolutos em sua experiência, oferecendo,em sua obra, a possibilidade de uma hermenêutica feminina do Amor, a Minne medieval,que sustenta uma vida de ser Deus com Deus, não sem antes atravessar uma fisiologia humana e natural que sobrevive à dissolução de si mesma. Para tanto, pretende-se fazer uso dos Fundamentos filosóficos da mística medieval (1919/1920), de Martin Heidegger,para abordar fenomenologicamente a experiência mística de Hadewijch da Antuérpia, sem pretender com isso desmistificar a mística, ou seja, aceitá-la como um objeto de pesquisa filosófica, mas encontrar nessa experiência da Presença de Deus que a beguina da Antuérpia experimenta e relata, um solo de abertura para a realização prévia da experiência fundamental. A indagação filosófica de Hadewijch a Heidegger está implícita em sua experiência humana com Deus como aquela que é origem do próprio filosofarporque ela enfrenta a derrota da razão nesse empreendimento poético, visionário e epistolar. A mística, enquanto objeto de pesquisa, será sempre uma crítica à ciência porque não se deixa capturar pela construção teórica, pois é absorvida pelo indelével, pelo indizível e por desdobramentos filosóficos amplos demais que vão desde a conduta reta dos ímpios ou o desejo ao bem — o único e o maior bem —, ao próprio niilismo que aponta para o Amor, não somente como o êxtase desejado e alcançado, mas com seu maior desdobramento em ser autêntico e revelador da realidade humana exilada no Amor por causa do Amor. É desse Amor que ela sofre.
Título traduzido da contribuiçãoÉ desse Amor que eu sofro. Hermenêutica feminina da experiência mística – a Minne Medieval em Hadewijch da Antuérpia
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)189-214
Número de páginas26
RevistaPistis & Praxis
Volume13
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 31 mar 2021

Keywords

  • Hadewijch da Antuérpia
  • Martin Heidegger
  • Minne Medieval
  • Experiência mística

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “É desse Amor que eu sofro. Hermenêutica feminina da experiência mística – a Minne Medieval em Hadewijch da Antuérpia“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação