Longevidade e bem-estar na família

Helena Rebelo Pinto*, Susana Costa-Ramalho

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

Resumo

A longevidade é uma conquista do nosso tempo, a velhice o seu resultado inexorável. Viver mais tempo é hoje considerado como uma oportunidade atrativa pela maior parte das pessoas, que louva essa conquista da humanidade. Envelhecer, pelo contrário, é encarado com receio, e por vezes em negação, num horizonte mais ou menos próximo de uma finitude, que é afinal inerente à própria vida, bem como ao processo de envelhecimento que a ela conduz. As expectativas relativamente à velhice e a experiência da própria velhice são, por isso, muitas vezes marcadas por alguma ambivalência, oscilando entre o desejo de prolongamento da vida e a angústia perante as dificuldades de ordem vária que se antecipam. Desta ambivalência fazem eco, em termos subjetivos, as histórias de vida dos mais velhos, analisadas, nomeadamente, em diversas áreas da Psicologia (Lay et al., 2018) e, em termos objetivos, em numerosos estudos em domínios tão diversos como a sociologia, a economia, a saúde, o trabalho ou a família, correspondentes aos contextos e condições de vida das pessoas mais velhas. Uns e outros suscitam questões vitais, da sobrevivência ao bem-estar (Randall & Khurshid, 2016).
Título traduzido da contribuiçãoLongevity and well-being in the family
Idioma originalPortuguese
Título da publicação do anfitriãoEnvelhecimento
Subtítulo da publicação do anfitriãoDimensões e contextos
Local da publicaçãoLisboa
EditoraUniversidade Católica Editora
Capítulo17
Páginas241-256
Número de páginas16
ISBN (impresso)9789725407745
Estado da publicaçãoPublicado - jun 2021

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Longevidade e bem-estar na família“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação