Mobiliário de ofícios: as bancas de ourives

Resultado de pesquisarevisão de pares

3 Transferências (Pure)

Resumo

A peça de mobiliário conhecida como banca de ourives, que examinamos neste breve artigo, integrou as oficinas de ourivesaria, desde há séculos e até meados do século XX, e sobre ela se executavam grande parte das operações necessárias para a manufactura tanto de objectos de ouro como de prata. A estrutura das bancas de ourives portuguesas caracteriza-se pela sua simplicidade formal, utilizando-se na sua execução madeiras autóctones e outros recursos do próprio ambiente em que se construíram. Por isso, apresentam um manifesto carácter regional, enquanto mantêm linhas gerais estáveis, sóbrias e arcaizantes, comuns a todas as oficinas e regiões. A sua razão de ser encontrou justificação na adequação ao trabalho que sobre elas era executado, e ao local a que se destinavam, mas também às características do seu utilizador, que estabelecia com o móvel uma relação de estreita proximidade, sendo as bancas muitas vezes personalizadas tanto em pormenores técnicos como na adequação ao físico do seu usuário.
Título traduzido da contribuiçãoService’s furniture: the ourives banks
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)96-107
Número de páginas12
RevistaRes mobilis
Volume5
Número de emissão6
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 14 dez 2016

Keywords

  • Mobiliário
  • Mobiliário de ofícios bancas de ourives
  • Ourivesaria

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Mobiliário de ofícios: as bancas de ourives“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação