Resumo

O capítulo estuda a relação entre as estratégias de comunicação visual e a imagem da família tradicional, e a forma como neste processo as técnicas de mediação visual (publicidade, fotografia de moda, media sociais) servem para a construir, apropriar e desterritorializar. Assim, a imagem da família é, por um lado, submetida à lógica de consumo, tornando-se produto de moda; mas, por outro lado, evidencia de forma metairónica a crítica sobre a ambivalência do próprio processo de representação. Através do estudo de caso do projeto de media social da casa Dolce & Gabbana, intitulado #DGFamily e lançado em 2015, demonstra-se como os estilistas apropriam a instituição familiar e a transformam em marca, através da criação de uma nostalgia virtual em torno de fotografias privadas de família, e simultaneamente a ironia crítica desta retórica familiar. A abordagem articula a semiótica visual, os estudos culturais de moda e a metodologia crítica dos estudos de cultura para discutir as estratégias de negociação que ocorrem entre a família como instituição social e cultural e os processos de (auto e hetero) representação na modernidade tardia.
Título traduzido da contribuiçãoFashion, family and visual culture
Idioma originalPortuguese
Título da publicação do anfitriãoFamília
Subtítulo da publicação do anfitriãoessência e multidisciplinaridade
EditoresHelena Rebelo Pinto, José Miguel Sardica
Local da publicaçãoLisboa
EditoraUniversidade Católica Editora
Capítulo19
Páginas318-335
Número de páginas18
ISBN (impresso)9789725405239
Estado da publicaçãoPublicado - 2016

Citação