Mutatis mutandis? The stably evolving Portuguese journalism

Título traduzido da contribuição: Mutatis mutandis? A estabilidade evolutiva do jornalismo português

Rui Alexandre Novais*

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

1 Citação (Scopus)

Resumo

Este artigo oferece uma análise comparativa diacrónica das diferentes dimensões relativas à autopercepção dos jornalistas portugueses, do seu papel ou funções, da autonomia, da confiança nas instituições sociais, das influências, bem como das questões éticas Baseado em mais de 500 entrevistas, ao longo de um período de cinco anos, constata o fluxo de mudança do jornalismo em resultado da combinação do impacto da inovação tecnológica com a dimensão comercial, redundando numa considerável deterioração tanto das condições de trabalho como a nível da credibilidade pública e dos padrões éticos No entanto, e acima de tudo, conclui que as mudanças estatisticamente significativas verificadas, sendo selectivas e modestas, validam a tendência generalizada de estabilidade nas autopercepções dos jornalistas portugueses em consonância com a teoria da homogeneização ao longo do tempo.
Título traduzido da contribuiçãoMutatis mutandis? A estabilidade evolutiva do jornalismo português
Idioma originalEnglish
Páginas (de-até)342-363
Número de páginas22
RevistaBrazilian Journalism Research
Volume14
Número de emissão2
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - ago 2018
Publicado externamenteSim

Keywords

  • Jornalismo português
  • WOJ
  • Homogeneização ao longo do tempo
  • Análise longitudinal
  • Mudanças no jornalismo

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Mutatis mutandis? A estabilidade evolutiva do jornalismo português“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação