O efeito da frequência de palavras e da sua estrutura morfológica na produção de erros afásicos

Dora Colaço, Ana Mineiro

Resultado de pesquisarevisão de pares

9 Transferências (Pure)

Resumo

A informação apresentada na literatura sobre influência da frequência do uso de palavras tem sido semelhante entre diferentes autores. Os resultados destes estudos têm demonstrado que é mais fácil aceder às palavras frequentes do que às palavras pouco frequentes (Bormann, Kulke & Blanken, 2007; Kittredge, Dell, Verkuilen & Scwartz, 2008; Leal, 2003; Morrisset & Gierut, 2002; entre outros). Sobre a influência da estrutura morfológica das palavras na produção verbal não existem muitos dados que possam servir de pressupostos. Para estudar estas duas variáveis, foram utilizadas duas provas: (i) uma prova de nomeação de objectos reais – palavras simples frequentes, palavras simples pouco frequentes e palavras construídas pouco frequentes; e (ii) uma prova de repetição de palavras simples e palavras construídas, adaptada de Aachen Aphasia Test (versão portuguesa) (Lauterbach, Pavão -Martins & Ferreira, 2003). Foram avaliados 39 participantes com afasia com idades compreendidas entre os 47 e 87 anos, dos quais dez são iletrados e os restantes 28 são iletrados, que foram divididos em diferentes subgrupos. A produção de palavras pouco frequentes e a produção de palavras construídas induziu uma maior produção de erros parafásicos. Estes resultados vêm esclarecer, de alguma forma, a influência das características de material linguístico no acesso ao léxico.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)78-86
Número de páginas9
RevistaCadernos de Saúde
Volume5
Número de emissão1-2
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 1 jan. 2012

Keywords

  • Afasia
  • Frequência linguística
  • Morfologia
  • Parafasias

Citação