O impulso metafísico na experiência estética: Itinerário da fenomenologia “afectiva” de Mikel Dufrenne

Resultado de pesquisarevisão de pares

Resumo

Começando quase sempre por identificar os problemas no seu referencial empírico, Dufrenne rapidamente parte para a inquirição do seu fundamento e de seguida para a averiguação do fundo deste fundamento, criando no leitor a expectativa de uma “ultimidade” que transcende todas as coordenadas espaciais e temporais. Temos a reminiscência de, desde então, se ter gerado em nós uma interrogação que não mais nos abandonou: conterá, para Dufrenne, a problemática estética, e sobretudo a experiência estética, uma significação e uma resolução metafísica e transcendente? O prolongado contacto com as grandes obras do autor, sobretudo PEE, LNAP, LIAP, Le Poét., veio paulatinamente em reforço desta suspeita: a de que, longe de se resolver na dimensão empírica, a questão do sentido da esteticidade em Dufrenne parece requer uma verdadeira âncora ontológica e mesmo metafísica. Continuava, porém, a reserva da sua suspensão, ou pelo menos ausência de explicitação em moldes que permitissem transformar a suspeita numa certeza. Tomámos então a decisão de construir o projecto desta investigação apontando para o objectivo primordial: traçar um itinerário do pensamento estético de Dufrenne segundo a tendência para a metafísica, que nos parecia estar cada vez mais presente no autor.
Idioma originalPortuguese
Local da publicaçãoBraga
EditoraAxioma - Publicações da Faculdade de Filosofia
Número de páginas626
Volume45
Edição1
ISBN (eletrónico)9789726973324
ISBN (impresso)9789726973317
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 28 nov 2020

Série de publicação

NomeFilosofia

Keywords

  • Estética
  • Mikel Dufrenne
  • Fenomenologia da arte
  • Ontologia da arte
  • Filosofia da Arte
  • Experiência estética
  • Arte

Citação