O papel da Sociedade Bíblica na construção da liberdade religiosa em Portugal durante a Monarquia Constitucional e a I República

Resultado de pesquisarevisão de pares

Resumo

A consolidação institucional da Sociedade Bíblica em Portugal e a sua integração e participação ativa nas dinâmicas religiosas e culturais do país ao longo do século XIX e XX estruturaram-se sobre uma atividade – a da divulgação bíblica – que, pela sua natureza e pelos seus efeitos, definiu a instituição como um agente de mudança na sociedade portuguesa cujo papel não se restringiu à dinamização do processo de diferenciação religiosa em curso no país, estendendo-se antes à promoção de um debate amplo, onde elementos antropológicos, teológicos e políticos se cruzaram. O projeto de difusão bíblica liderado pela Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira (SBBE) em Portugal desenvolveu-se também como expressão de um conflito que patenteava o modo como a instituição progrediu no país enquanto expressão da modernidade contemporânea e como a Bíblia era também um espaço de confrontação onde os conceitos de Autoridade e de Liberdade, na sua variedade semântica, detinham um protagonismo fundamental. Colocando o problema fundamental da Autoridade da Bíblia, a SBBE acabou inevitavelmente por se ver confrontada com o problema da autoridade no seu sentido mais estrito e concreto, isto é, na relação com as diferentes autoridades que, no seio da sociedade portuguesa, intervinham nos campos da regulamentação do religioso e, num sentido mais lato, na discussão sobre a liberdade religiosa e na ordenação societária.
Idioma originalPortuguese
Título da publicação do anfitriãoLiberdade Religiosa - Prémios - 2010 - 2011 - 2012 - 2017
Local da publicaçãoLisboa
EditoraMinistério da Justiça - Comissão da Liberdade Religiosa
ISBN (impresso)9789899946156
Estado da publicaçãoPublished - 2018

Citação