Os demónios da avaliação: memórias de professores enquanto alunos

Resultado de pesquisarevisão de pares

Resumo

Este artigo parte de quarenta narrativas de professores que evocaram situações de avaliação particularmente marcantes, ocorridas no tempo em que foram alunos. Dessas quarenta, trinta e uma narrativas assumem a expressão de um abuso de poder intolerável. Nove manifestam práticas avaliativas emancipatórias. Através de uma análise dos discursos, quantificamos e qualificamos os sentidos dos abusos – humilhação, violência, discriminação, deceção, arbitrariedade – e da emancipação minoritária, procurando explicar essas práticas à luz dos tempos histórico, social, organizacional e profissional. Conclui-se que essas práticas precisam de ser combatidas e prevenidas, requerendo-se políticas e práticas mais rigorosas de acesso à profissão e o exercício de uma ação pedagógica mais interativa.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)630-662
Número de páginas34
RevistaEstudos em Avaliação Educacional
Volume26
Número de emissão63
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 2015

Keywords

  • Avaliação da educação
  • Avaliação da aprendizagem
  • Métodos de avaliação
  • Violência psicológica

Citação