Os movimentos metafísicos da Filosofia Portuguesa contemporânea

Resultado de pesquisarevisão de pares

3 Transferências (Pure)

Resumo

Este artigo tem como objetivo identificar no pensamento português contemporâneo as suas principais correntes metafísicas e os filósofos a elas associados. Procura, igualmente, caracterizar a especificidade da filosofia portuguesa no contexto europeu, que se traduz na sua teoria da saudade e na tradicional relação umbilical com a literatura e a teologia, nomeadamente, na forma poética e na expressão mística ou espiritual. Assumindo a íntima união entre a razão e a emoção, a razão e a fé, o entendimento e a experiência, a metafísica portuguesa está centrada nas noções de Mistério e Excesso e procura uma incessante superação dos monismos panteístas e dos dualismos deístas. O resultado traduz-se na assunção de três vias fundamentais: a metafísica da cisão e da restauração fundada no pantiteísmo emanatista da união divina impessoal; a metafísica da queda e da redenção, fundada no teísmo da união divina pessoal; a metafísica da criação e da manifestação, fundada no teísmo criacionista da transcendência imanente sob as formas de comunhão pessoal e plenificação universal.
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)45-73
Número de páginas29
RevistaMetafísica y Persona
Volume14
Número de emissão27
DOIs
Estado da publicaçãoPublished - 31 jan 2022

Keywords

  • Metafísica
  • Filosofia portuguesa
  • Panteísmo
  • Pantiteísmo
  • Teísmo

Citação