Percepções dos educadores sobre a inclusão na educação pré-escolar: o papel da experiência e das habilitações

Paulo César Azevedo Dias, Irene Maria Dias Cadime

Resultado de pesquisarevisão de pares

3 Citações (Scopus)
10 Transferências (Pure)

Resumo

Em Portugal, a extensão dos serviços de educação especial à educação pré-escolar é relativamente recente. São também escassos os estudos que avaliam as percepções dos educadores de infância sobre as práticas inclusivas. Neste trabalho, pretendemos avaliar as percepções dos educadores de infância sobre a inclusão. Recorreu-se a uma amostra de 118 educadores de infância portugueses, a quem foi administrado o Inventário de Inclusão. Os resultados indicam que a implementação de práticas inclusivas está relacionada com a percepção de apoio e utilização anterior de práticas inclusivas. Educadores mais novos, com menos experiência letiva e com menos experiência na aplicação de práticas inclusivas possuem mais crenças sobre a inclusão. Educadores mais velhos e que trabalham mais tempo com crianças com necessidades educativas especiais percebem como melhores os efeitos da inclusão. Esses resultados são discutidos à luz da literatura existente, apresentando-se também implicações para a prática educativa e para a investigação.
Título traduzido da contribuiçãoPreschool teachers' perceptions about inclusion in preschool education: the role of experience and qualifications
Idioma originalPortuguese
Páginas (de-até)91-111
Número de páginas21
RevistaEnsaio
Volume26
Número de emissão98
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 1 jan 2018

Keywords

  • Inclusão
  • Pré-escolar
  • Percepções
  • Educadores de infância

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Percepções dos educadores sobre a inclusão na educação pré-escolar: o papel da experiência e das habilitações“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação