Percutaneous coronary intervention of unprotected left main disease: five-year outcome of a single-center registry

Título traduzido da contribuição: Intervenção coronária percutânea do tronco comum não protegido: resultados aos cinco anos de um registo de centro único

Hélder Alexandre Correia Dores*, Luís Raposo, Manuel de Sousa Almeida, João Brito, Pedro Galvão Santos, Pedro Jeronimo Sousa, Henrique Mesquita Gabriel, Pedro de Araújo Gonçalves, Rui Campante Teles, Francisco Pereira Machado , Miguel Mendes

*Autor correspondente para este trabalho

Resultado de pesquisarevisão de pares

3 Citações (Scopus)

Resumo

Introdução e objetivo: A intervenção coronária percutânea (ICP) tem sido cada vez mais adotada como uma opção terapêutica para as lesões do tronco comum não protegido (TCNP). O objetivo deste trabalho foi avaliar o prognóstico a longo-prazo de doentes submetidos a ICP do TCNP. Métodos e resultados: Análise retrospetiva de 95 doentes consecutivos (mediana do EuroSCORE-I 2.9 [IQR 1.4;6.1]) submetidos a ICP do TCNP entre 1999 e 2006, incluídos num registo prospetivo de centro único. O objetivo primário estudado foi a ocorrência combinada de morte de qualquer causa, enfarte agudo do miocárdio (EAM) e revascularização da lesão alvo (TLR) aos cinco anos de seguimento. Quarenta doentes (42,1%) foram tratados no contexto de uma síndroma coronária aguda e 81 doentes (85%) tinham pelo menos outra lesão significativa adicional (SYNTAX score 24,2±11,8). Angioplastia isolada do tronco comum foi efetuada em 33% dos casos (81,1% com stents revestidos por fármaco) e a revascularização foi funcionalmente completa em 79%. Durante o período estudado, 20 doentes morreram (21,1%), 6 (6,3%) tiveram EAM e 11 (11,6%) TLR (MACE total combinado 28,4%). Os preditores independentes de MACE foram: antecedentes de EAM (HR 2,9 IC95% 1,23-6,92; p=0,015), hipertensão arterial (HR 5,7 IC95% 1,86-17,47; p=0,002) e o EuroSCORE-I (HR 1,1 IC95% 1,03-1,12; p=0,001). A implantação de stent revestido por fármaco associou-se significativamente a menor taxa de MACE, mesmo após ajuste por propensity score (AUC=0,84): HR [corrigido] 0,1; IC95% 0,04-0,26; p < 0,001). Conclusões: A intervenção coronária percutânea em lesões do tronco comum não protegido, utilizando principalmente stents revestidos por fármaco, pode ser considerada uma alternativa válida à revascularização cirúrgica, em especial em doentes de elevado risco cirúrgico e com características angiográficas favoráveis.
Título traduzido da contribuiçãoIntervenção coronária percutânea do tronco comum não protegido: resultados aos cinco anos de um registo de centro único
Idioma originalEnglish
Páginas (de-até)997-1004
Número de páginas8
RevistaRevista Portuguesa de Cardiologia
Volume32
Número de emissão12
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - dez. 2013
Publicado externamenteSim

Keywords

  • Tronco comum não protegido
  • Intervenção coronária percutânea
  • Stents revestidos por fármaco

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Intervenção coronária percutânea do tronco comum não protegido: resultados aos cinco anos de um registo de centro único“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação