Primitive future: metal, time and neoliberalism in sepultura musical production (1989)

Título traduzido da contribuição: Primitive future: metal, tempo e neoliberalismo na produção musical do sepultura (1989)

Resultado de pesquisarevisão de pares

20 Transferências (Pure)

Resumo

“Primitive Future”, última faixa do disco Beneath the Remains (1989) da banda brasileira, Sepultura, estreou a circulação global do conjunto e o consequente sucesso comercial. Musicalmente, a canção está focada no pulso e nos motivos horizontais (riffs) que são desenvolvidos em andamento acelerado. Além disso, não apresenta um centro tonal definido, criando, assim, uma atmosfera tensionada por meio de consonâncias e dissonâncias. O mesmo ocorre com a lírica que descreve um futuro pós-apocalíptico. Logo, indaga-se aqui quais condições históricas permitiram a produção e a circulação de uma canção pessimista em relação ao futuro. Examina-se, especialmente, tanto a ascensão do neoliberalismo como do presentismo emparalelo à constituição do realismo capitalista e do desempenho enquanto imperativo social em um contexto globalizado.
Título traduzido da contribuiçãoPrimitive future: metal, tempo e neoliberalismo na produção musical do sepultura (1989)
Idioma originalEnglish
Número de páginas23
RevistaHISTORIA E CULTURA
Volume12
Número de emissão2
DOIs
Estado da publicaçãoPublicado - 21 dez. 2023

Keywords

  • Metal
  • Neoliberalismo
  • Presentismo

Impressão digital

Mergulhe nos tópicos de investigação de “Primitive future: metal, tempo e neoliberalismo na produção musical do sepultura (1989)“. Em conjunto formam uma impressão digital única.

Citação