Qualidade de vida e paralisia cerebral: a importância do trabalho e da família

Aires Ferreira, Catarina Martins, Célia Ribeiro

Resultado de pesquisa

5 Transferências (Pure)

Resumo

A Paralisia cerebral (PC) trata-se de uma condição motora que provoca limitações no domínio da acção, atribuídas a lesões num cérebro em desenvolvimento (Rosenbaum et al., 2005). Pode ser acompanhada por distúrbios sensitivos, cognitivos, comunicativos, comportamentais e perceptivos (Martins, 2015). Pode, igualmente, afectar as competências funcionais, limitando a actividade e participação e, previsivelmente, a qualidade de vida (QV) de crianças e adultos. A QV pode ser definida como “a percepção do indivíduo sobre a sua posição na vida, dentro do contexto dos sistemas de cultura e valores nos quais está inserido e em relação aos seus objectivos, expectativas, padrões e preocupações (OMS, 1994, p.28). O estudo da QV desta população permitirá conhecer os domínios específicos com necessidade de intervenção. Cinquenta e três adultos com PC (16-45 anos; M=36 Anos) participaram nesta investigação não experimental, de cariz quantitativo e transversal, seguindo uma via descritivocorrelacional. Para avaliar a QV, foi aplicado o World Health Organization quality of life assessment (WHOQOL-Bref) (Canavarro et al., 2007). Todos os participantes foram classificados no Gross Motor Function Classification System (GMFSC). A relação entre as variáveis foi calculada através de testes de correlação de Spearman. O domínio que apresenta valores inferiores de QV é o do ambiente. Os inquiridos do sexo masculino, apresentam uma QV de vida mais elevada, no domínio físico, contudo, não se verifica uma diferença significativa. No domínio das relações sociais, as pessoas do sexo feminino apresentam índices de percepção de QV ligeiramente superiores. Foi encontrada uma correlação significativa negativa entre o nível de compromisso motor e funcional (GMFSC) e os níveis de QV especialmente nos domínios psicológico e das relações sociais. Ou seja, são os indivíduos de nível IV e V, ie, com dificuldades motoras significativas, que apresentam valores de QV inferiores. Os participantes com habilitações superiores apresentam uma QV mais elevada, nomeadamente nos domínios físico e psicológico. Nas pessoas casadas, que vivem em união de facto, ou em família, os dados obtidos apontam para uma QV superior nas relações sociais. A situação profissional influencia a QV: quem trabalha apresenta níveis superiores, em todos os domínios, em relação a quem está desempregado ou é pensionista. Os resultados podem ajudar a delinear estratégias de intervenção com adultos com PC de modo a promover a sua capacitação, independência e plena inclusão decorrendo, nomeadamente, dos dados relativos à influência do exercício de uma actividade profissional e do contexto familiar.
Idioma originalPortuguese
Título da publicação do anfitriãoLivro de Atas da Jornada Nacional Criar Pontes para a Inclusão
EditoresGustavo Desouzart, Catarina Martins
EditoraEdições Piaget
Páginas21-21
Número de páginas1
ISBN (eletrónico)9789897591013
Estado da publicaçãoPublicado - nov. 2017

Keywords

  • Paralisia cerebral
  • Idade adulta
  • Qualidade de vida

Citação