Regime da separação de bens e sua liquidação

Resultado de pesquisa

10 Transferências (Pure)

Resumo

No regime da separação de bens, cada um dos cônjuges conserva o domínio e fruição de todos os seus bens presentes e futuros, podendo dispor livremente deles, estando afastada, à partida e em termos teóricos, a necessidade de proceder a qualquer divisão patrimonial no contexto de um divórcio. A disciplina da responsabilidade pelas dívidas comuns do casal ligada a este regime de bens não implica a solidariedade. A existência de deslocações patrimoniais na hipótese em que os cônjuges estipularam o regime da separação de bens é uma decorrência natural da comunhão de vida a que os cônjuges se obrigam no ato fundador do casamento. Em caso de rutura, os cônjuges são confrontados com a dissolução da comunhão de vida e com a forma de gerir as suas consequências patrimoniais. Quando o regime dos cônjuges foi o da separação de bens, pensar-se-ia a «liquidação» como desnecessária, no entanto, a interpenetração patrimonial que ocorre durante o casamento poderá exigir, por exemplo, a reintegração das massas patrimoniais após o divórcio, impedindo situações de enriquecimento injustificado. Noutros ordenamentos jurídicos, esta questão designa-se, do ponto de vista conceptual e legal, pela expressão genérica «liquidação do regime de bens» (por exemplo, liquidación del régimen económico matrimonial, em Espanha, ou liquidation du regime matrimonial, em França). Neste trabalho, demonstra-se que o regime da separação exige frequentemente uma verdadeira e própria «liquidação», designadamente, dirigida à apreciação de transferências ocorridas entre os patrimónios próprios, situações de indivisão, prestações de contas, relações de associação ou de colaboração empresarial, acordos quanto à orientação da vida em comum. A liquidação do regime da separação de bens e a composição dos conflitos emergentes, por vezes, só muito dificilmente é alcançável pela via da propositura de ações judiciais, isoladas e sucessivas, sublinhando-se a necessidade de um enquadramento processual adequado que permita a apreciação de conjunto desta situação.
Idioma originalPortuguese
Título da publicação do anfitriãoAtas das Jornadas Internacionais “Igualdade e Responsabilidade nas Relações Familiares”
EditoresJoão Nuno Barros
Local da publicaçãoBraga
EditoraUniversidade do Minho
Páginas159-183
Número de páginas24
ISBN (impresso)9789895458721
Estado da publicaçãoPublicado - fev 2020
EventoJornadas Internacionais “Igualdade e Responsabilidade nas Relações Familiares” - Universidade do Minho, Braga
Duração: 5 dez 20196 dez 2019

Conferência

ConferênciaJornadas Internacionais “Igualdade e Responsabilidade nas Relações Familiares”
País/TerritórioPortugal
CidadeBraga
Período5/12/196/12/19

Keywords

  • Regime da separação de bens
  • Divórcio
  • Consequências patrimoniais do divórcio

Citação